Equipes
02/12/2021

Tomada de decisões: saiba como ter mais assertividade nas ações

Você já esteve inseguro sobre as escolhas realizadas na sua empresa? A tomada de decisões deve seguir um processo que, ao final, os envolvidos possam reconhecer o resultado como fruto da avaliação adequada de todos os fatores.

A assertividade é a condição de certeza e credibilidade, que nasce da maneira como decidimos. É o caminho adequado para aumentar as probabilidades da decisão ser bem-sucedida, gerenciando os riscos e minimizando erros.

Logo abaixo, você entenderá por que investir em processos de tomada de decisão e quais práticas podem consolidar essa rotina na sua empresa. Não deixe de conferir!

Crie um fluxo de trabalho

Alcançar uma tomada de decisões assertiva é um dos pilares para que os gestores consigam resolver problemas e promovam melhorias nas organizações. Para começar, precisamos desenhar o processo para ter um fluxo de trabalho eficiente.

Uma metodologia que pode trazer bons frutos é o Design Thinking. Basicamente, ela exporta o modo de analisar e resolver problemas dos designers para outras áreas, com o objetivo de estimular um trabalho colaborativo, o pensamento crítico e a criatividade.

Em uma de suas versões mais utilizadas, o processo é dividido em quatro etapas.

Imersão

A imersão é a etapa de diagnóstico e estudo do problema. Nela, reunimos todas as informações possíveis para entender a situação e nutrir o processo com o conhecimento necessário para tomar as decisões.

Ideação

Na fase seguinte, as informações são utilizadas para levantar ideias.

Esse processo funciona como um funil. A equipe começa por um brainstorming em que todos oferecem suas ideias, de forma livre e sem julgamentos. A seguir, as propostas mais viáveis discutidas são filtradas até chegar nas melhores opções.

Prototipação

As propostas de maior potencial devem ser transformadas em protótipos. O protótipo é uma representação simples da solução, de modo que seja possível entender seu benefício e funcionamento em linhas gerais.

No caso de produtos, frequentemente ele será um modelo mais simples da solução final, para que seja possível testá-la com baixo custo.

Em outros tipos de decisão, você pode usar representações, como fluxogramas, mapas mentais, propostas de roteiro de visitas etc. Coloque a ideia no papel de modo que todos consigam visualizar a possível solução do problema.

Desenvolvimento

O desenvolvimento é o momento de produzir e implementar a solução. É importante que a ideia seja submetida a feedbacks e testes. O protótipo de um produto pode ser testado junto aos representantes dos clientes, uma mudança no serviço pode ter a execução ensaiada ou testada numa parcela dos clientes e assim por diante.

Com os feedbacks, inicia-se o processo de colocar a solução em prática, implementando as mudanças de processos, serviços, produtos etc.

Vale ressaltar que o tempo em cada etapa varia bastante. Diante de uma emergência, o gestor pode se ver obrigado a estudar rapidamente o problema e colocar a solução no papel. No entanto, também haverá momentos, como o lançamento de produtos, que as fases podem se alongar por meses.

Defina indicadores para acompanhar os resultados

Durante o processo de  tomada de decisões, é importante pensar em como saberemos se a escolha foi a mais adequada. Isto é, defina qual indicador-chave será responsável por medir o sucesso da medida que será implementada. Será o aumento das vendas? A redução dos desperdícios? O tempo para finalizar o serviço?

Utilize a tecnologia no processo de tomada de decisões

Os dados são preciosos porque ajudam a esclarecer a situação, tornando as decisões mais próximas da realidade. Uma boa maneira de contar com essas informações é utilizar a tecnologia para ter informações confiáveis e constantemente atualizadas.

No software da DKRO, por exemplo, existe uma ferramenta de Business Intelligence (BI) que transforma os dados coletados sobre os processos em conhecimento para os gestores, por meio de relatórios personalizáveis.

Vendas, tempo, despesas, localização, atividades realizadas são algumas das diversas informações disponíveis para consulta a qualquer momento. Além disso, caso a empresa tenha alguma particularidade, é possível usar filtros personalizáveis para extrair os indicadores necessários do banco de dados.

O sistema de gestão de equipes centraliza o gerenciamento de diversos processos. De um lado, os colaboradores de campo utilizam os dispositivos mobile para preencher formulários, checklists e outros documentos de coleta de dados. Na outra ponta, o gestor recebe as informações necessárias para tomar decisões, em relatórios inteligentes produzidos de forma automática.

Sendo assim, você consegue trazer mais assertividade para a tomada de decisões, combinando o conhecimento com bons fluxos de trabalho. Logo, as escolhas realizadas terão mais chances de serem bem-sucedidas.

Quer entender como funciona essa transformação? Fale agora mesmo com os nossos consultores e conheça as soluções da DKRO!

Escrito por Philippe Aymard

Leia Também