Blog
01/05/2019

Como controlar melhor os processos gerenciais

Você conhece os passos essenciais para controlar melhor os processos gerenciais? Hoje vamos compartilhar com você algumas informações relevantes

Como controlar melhor os processos gerenciais? Todo gestor já se deparou com essa dúvida, em algum momento.

O controle gerencial é essencial para garantir o correto funcionamento dos processos dentro das organizações.

É muito importante que o processo esteja fluindo conforme planejado para que os níveis de eficácia de uma empresa não sejam prejudicados.

Quando falamos em controle, não estamos falando de tirania, muito menos de microgerenciamento, mas sim sobre o monitoramento proativo de atividades.

O que isso significa? Significa que controle na mão do gestor significa informações e conhecimento técnico para planejamento e tomada de decisão com sabedoria.

Agora que já estabelecemos o entendimento sobre controle, vamos abordar as etapas que compõem esse processo.

1. Defina padrões de desempenho

O primeiro passo no controle de processos gerenciais está relacionado ao estabelecimento de padrões de desempenho.

Esses padrões são a base para medir o desempenho real.

Assim, os padrões funcionam como um farol que avisa e guia os navios no mar.

Os padrões são os pontos de referência para os quais os esforços de toda organização são direcionados.

Eles podem ser expressos em termos qualitativos e quantitativos, por exemplo:

  1. Receita a ser gerada;
  2. Unidades a serem produzidas e vendidas;
  3. Ordens de serviço a serem atendidas;
  4. Custos a incorrer no processo;
  5. Tempo de execução de tarefas;
  6. Aumento do nível de engajamento de funcionários;
  7. Melhoria da qualidade dos produtos e do atendimento ao cliente.

2. Medição do desempenho real

Uma vez que padrões tenham sido determinados, o próximo passo é medir o desempenho real.

Medir o desempenho é saber se, depois de estabelecidos os padrões, eles estão sendo seguidos.Isso é necessário para que os padrões estabelecidos sejam cumpridos e os resultados apurados estejam satisfatórios.

3. Comparar o desempenho apurado com os padrões estabelecidos

Esta etapa envolve a comparação do desempenho real com os padrões estabelecidos para encontrar desvios.

Por exemplo, um desempenho semanal de um vendedor pode ser facilmente medido em relação à meta semanal estabelecida.

4. Analisando desvios

Alguns desvios podem acontecer entre o padrão estabelecido e o desempenho apurado.

No entanto, desvio em áreas importantes de negócios, precisam ser corrigidos com mais urgência em comparação com o desvio em áreas menos significativas.

Para que o controle não se transforme em algo totalmente autoritário, uma das formas de analisar os desvios é se concentrar nas áreas-chave.

Essas áreas são essenciais para o sucesso de uma organização. Portanto, toda organização precisa monitorar esses pontos para que nada saia dos eixos.

Outra maneira de analisar desvios é através do controle por exceção.

Trata-se de um princípio importante do controle gerencial. De acordo com ele, uma tentativa de controlar tudo resulta em controlar nada.

Assim, apenas os desvios importantes que excedam limites devem ser levados ao conhecimento da administração.

5. Ação corretiva

O último passo no controle dos processos gerenciais envolve a tomada de ação corretiva.

Se os desvios tiverem dentro dos limites aceitáveis, nenhuma medida corretiva será necessária.

No entanto, se os desvios excederem os limites aceitáveis, eles devem ser levados imediatamente ao conhecimento da gestão para a tomada de medidas corretivas, especialmente em áreas críticas para o negócio.

Esses são os passos de um processo de controle eficiente

Como dissemos, controle não significa uma atitude autoritária e ditatorial no acompanhamento dos processos.

Controle é ter as rédeas de sua empresa nas mãos, sabendo que ela está percorrendo o caminho para o destino que foi traçado no planejamento.

Com esses 5 passos é possível, na prática, aplicar o controle de processos gerenciais usando o conhecimento estratégico para dirigir o negócio.

Escrito por Philippe Aymard

Leia Também